O trabalho de Cléber Xavier e Tite

Por   | 

modelo de trabalho Cléber Xavier e Tite

Cléber Xavier, treinador de futebol e atualmente auxiliar técnico do Tite, comentou o modelo de trabalho realizado por eles, ao Quero ser Jogador.

 – Eu vou falar pela gente, pela relação que a gente tem. A gente tem dois pontos importantes quando a gente assume um trabalho, um é criar no clube onde tu vai trabalhar, um ambiente limpo, um ambiente gratificante, um ambiente que todo mundo se sinta bem. Valorizar as pessoas. Não só o grupo de atletas, mas todas as pessoas que trabalham dentro do clube.

reuniões semanais ou quinzenais

– E agente costuma fazer, às vezes, reuniões semanais ou quinzenais com o pessoal que cuida do campo, com o pessoal que cuida da faxina, com o pessoal que cuida da alimentação, com todo mundo que está em volta. Hoje em dia o clube de futebol, ele tem até quem corte o cabelo do jogador, até quem faça a barba do jogador, ele tem podólogo. E, esse pessoal tem que estar integrado no trabalho. E, essas reuniões são justamente para integrar, para que todo mundo saiba o momento que a gente está passando. Ou de pressão, ou de tranquilidade para focar naquilo, e isso ajuda.

Corinthians

– A gente vive dentro de CTs (Centro de treinamentos). O nosso último trabalho que foi no Corinthians, de três anos e meio, foi dentro de um CT, trabalhando com um grupo de 30 atletas e no geral com um grupo de 200 pessoas mais ou menos. E, essas 200 pessoas, queiram ou não queiram, essas pessoas são comandadas pelo treinador e pelo seu auxiliar.

– Reduzindo isso ao atletas, e reduzindo essa forma de gerir esse bom ambiente, a gente também trabalha com uma liderança do convencimento. Não a liderança do mandar por mandar. Eu por ser treinador eu posso mandar o atleta fazer alguma coisa e ele vai fazer, mas se ele não estiver convencido daquilo que ele tem que fazer a coisa não vai sair da melhor maneira possível, da maneira que a gente quer. Então, a gente sim, busca uma boa relação.



relacionar com as pessoas

– Eu sou uma pessoa que tenho, no meu dia-a-dia, dentro ou fora do trabalho, uma facilidade de me relacionar com as pessoas. E acho isso importante. E, dentro do futebol tu te relaciona com pessoas que estão no teu nível, aquelas que discutem contigo o que vai acontecer no trabalho. Aquelas que estão um pouco abaixo de ti, no caso são os atletas, e tu tem que procurar elevar este nível à tua altura para que a discussão possa encontrar o melhor caminho. E, os que estão acima de ti, que são aqueles que te comandam, que são o teu presidente, teus diretores, teu gerente, e tu tem que trazer eles ao teu nível para que exista uma situação conjunta e linear de comando. E, é a parte, isso para mim, importante de um sucesso.

cinco títulos

– A gente saiu agora no final de 2013 de um trabalho de sucesso. É muito difícil em três anos e meio tu conquistar cinco títulos da grandeza que a gente conquistou. Porque, o título de menor expressão que foi o Campeonato Paulista, é um campeonato muito difícil, o mais difícil dos estaduais. E, não são muitos que conseguiram conquistar este título. É um título que a gente queria conquistar e a gente conquistou. Ou, um título da Recopa, que é o campeão da Libertadores com o campeão da Sul-Americana, que coincidentemente foi o Corinthians contra o São Paulo, os maiores rivais em São Paulo hoje. Não é mais Corinthians e Palmeiras, é Corinthians e São Paulo, e a gente conseguiu em dois jogos também tirar vantagem e ser campeão.

– Então, pra ti conseguir esses títulos que a gente conquistou, da maneira que a gente conquistou, tu tem que ter uma liderança de convencimento, tu tem que criar um bom ambiente de trabalho, para que tu possa desenvolver a essência do teu trabalho, que é a qualidade do teu time, o modelo em que o teu time joga, as estratégias táticas que tu usa.

– Então para mim, é fundamental a boa relação. E, tu só ganha essa quantidade de títulos, se tu consegue formar um grupo de qualidade.

Como é a sua rotina de trabalho no futebol?

Assista ao vídeo:

Para ver mais partes da entrevista como Cléber, clique aqui.

 

O blog de quem quer ser jogador. Compartilhe.