Entrevista Patrícia Vasconcelos – Quero ser Jogador

Por   | 

Patrícia Vasconcelos, assistente social do Sport Club Internacional, conversou com o Quero ser Jogador e explicou o por quê de seu trabalho ser gratificante.

– É um trabalho gratificante. Quando tu vê o retorno, tu vê os atletas felizes, bem. Por exemplo, na categoria de base, os atletas que chegam, a gente da todo um suporte. Claro que tinha atletas que tem a família junto, mas o nosso olhar principal era para os atletas que moravam no alojamento. Que existem até hoje, lá no CT de Alvorada, que tem as meninas que cuidam lá.

– É uma dinâmica tão forte, porque tu vive isso 24h. Tanto que tu tem o telefone do clube e o meu, e os dois não param. Não tem dia, não tem noite, não tem final de semana, porque tu tem que estar sempre pensando neles. O que é bom para eles. Porque eles têm dentro do clube, coisas que muitos deles não têm na casa deles. Eles chegam no clube, eles têm plano de saúde, têm dentista, eles têm tudo. Eles têm alimentação adequada, porque a nutricionista está sempre atuando. Eles têm psicólogas, se tenha alguma questão. Coisas que muitas vezes nós não temos, então existem vários olhares em cima do atleta.

Você se reconhece nesta profissão?

Assista ao vídeo:

A/C: Pai de jogador de futebol, clique aqui.

O apoio das famílias nas categorias de base, clique aqui.

O blog de quem quer ser jogador. Compartilhe.