A história de Julio Lírio, ex-jogador do Inter

Por   | 

Julio Lírio, ex-jogador de futebol contou sua história ao Quero ser Jogador.

 – Em 1985 eu vim para o Internacional, fiz um teste na base do Inter, na época que podia, que não precisava de empresário. Graças a Deus fiquei. Morei no Beira-Rio durante três anos. Em 1988 me profissionalizei, fiquei mais seis meses, fui liberado, saí, joguei em vários clubes do Brasil. Joguei em Goiás, joguei no Rio, viajei e joguei no México, joguei no Glória de Vacaria e em 1993 voltei ao Internacional na Libertadores. Em 1992 eu fui o escolhido o melhor lateral direito no regional (o Gauchão). E, voltei pro Inter em 1993 para disputar a Libertadores. Rápida passagem também. O time não ajudou muito e a gente acaba sendo excluído também. E depois, em 1995 eu tive uma lesão no joelho, onde aí foi que eu interrompi a minha não muito longa trajetória como jogador de futebol.

Julio considera muito gratificante essa experiência ter sido jogador de futebol pois aprendeu muita coisa. Dentro do futebol foi uma época muito difícil no futebol.

– Passei muita dificuldade. Para ter uma ideia, em 1993, para disputar a Libertadores, eu tinha um contrato com o Internacional de 3 mil dólares. Era um salário bom, só que não recebia também. Porque, eram uns contratos que eles diziam, “é tanto e é isso”. Não tinha conversa, não tinha representante, não tinha ninguém. “Eu posso te pagar isso, tu aceita? Se tu não aceita, vou ali e contrato outro.” Tinha que aceitar.

Julio lembra que na época, o salário mais alto no Internacional, era o do Marquinhos, meia esquerda, que recebia 17 ou 18 mil dólares. Um time que tinha sido campeão da Copa do Brasil no ano anterior e ia disputar uma libertadores. Hoje é um salário de jogador de base. Então, essas são algumas das diferenças que têm no futebol daquela época para hoje.

– Falar em termos pessoais, em termos de amizade dentro do futebol, continua a mesma coisa. Tu é valorizado enquanto tu rende alguma coisa. Não rendeu, tu é uma mercadoria que tu é exposta numa prateleira. Alguém quer, alguém vai lá e compra ou não.

– O que mudou bastante em relação ao tempo lá, foram os contratos profissionais, que o clube assinou, tem que pagar. Essas são as condições que muito melhorou dentro do futebol. Também, claro, a parte clínica, a parte de melhorar inclusive os próprios profissionais que estão trabalhando, são mais qualificados. Então, isso mudou muito.

– Mas, o tratamento entre pessoas, entre os atletas, isso continua. Existe ainda essa coisa de falta de companheirismo, falta de amizade, isso existe muito dentro do futebol. Porque quando envolve dinheiro, essa é a maior preocupação que tem dentro do futebol.

Qual a sua história no futebol?

Assista ao vídeo:

Você sabia que o jogador de futebol tem direito a aposentadoria? Confira.


Quero ser Jogador – O blog de quem quer ser jogador.


 

O blog de quem quer ser jogador. Compartilhe.