A história de Juan Jesus – parte 2

Por   | 

[PARTE 2] Juan Jesus, atualmente zagueiro da Inter de Milão, contou ao Quero ser Jogador como começou a sua história no futebol. Estava jogando no júnior do América-MG.

– Eu falei, estou bem aqui. Pensava, vou jogar no América como acontece, depois vai pro Cruzeiro e do Cruzeiro vai para Europa. Eu falei, to bem aqui e tal, tô numa categoria acima. Ele [seu amigo] falou assim “lá é melhor, o Inter todo mundo conhece, o América você vai ficar aqui e não sabe o que acontece” e eu falei assim, vou ver com meu pai.

Tinha a chance de Juan ir. Existia um empresário que falou que levaria-o. Foi. Chegou em Porto Alegre, graças a Deus não estava frio, estava calor.

– Esse frio daqui mata os caras. [risos]

– O empresário veio, e disse “faz o teste aí”. O empresário veio e depois sumiu. Deixou a gente, eu e meu amigo sozinhos.

Em uma semana Juan passou no teste e seu amigo teve que voltar para Minas. Juan sentiu. Ele que veio fazer o teste e Juan passou. Juan ficou sentido pelo amigo, pois conhecia-o desde pequeno, desde quando jogavam no América-MG, desde pequenos.

– Graças a Deus eu comecei, tive que voltar ao infantil do Inter. Fiz infantil, fiz juvenil, fiz júnior. No Inter sempre foi difícil, porque eu estava longe da minha família. Morava ali no Beira Rio, via meus pais só no natal e nas férias. Pensava, sou novo, estou aqui com 15, 16 anos, sozinho. Vou desistir. Vou voltar para minha família, chorava de saudades, acontecia muita coisa. Mas, graças a Deus, eu sempre tive no meio dos meus amigos do futebol. Sempre pessoas legais, que pelo menos escondia um pouco a saudade.

Eles eram amigos, mesmo. Iam para escola juntos, almoçavam. Não ganhavam quase nada. Ganhavam 300 reais por mês. Juan pegava, mandava para seu pai, para ajudar seu pai, ficava com um pouco. Dificuldade sempre tem, a não ser aqueles que nascem em berço de ouro. Mas todo mundo sabe que a história de jogador começa de baixo mesmo e depois vai crescendo.

– Eu fui um jogador que sempre foi para a seleção, desde os 15 eu sempre fui. Sub-15, sub-16, sub-17, até sub-20, onde a gente ganhou o título mundial da sub-20. Joguei Olimpíadas, infelizmente a gente perdeu, ganhei o Sul-Americano. Então sempre fui para a seleção.

Juan acredita que quando você vai para a seleção, abrem-se muitas portas. Por que está todo mundo te olhando. Todo mundo sabe que a seleção brasileira hoje, todo mundo vê, todo mundo sabe quem é, desde os pequenos já têm empresários olhando, já têm os times.

– Então, eu jogava no Inter. Joguei um Brasileirão, estava bem, e surgiu uma oportunidade primeiro de ir para o Napoli, na Itália. Eu estava jogando o Brasileirão, e o Luigi (atual Presidente do S.C. Internacional) falou dá uma segurada, “eu preciso de ti aqui nestes seis meses e depois você vê o que faz”. E eu, tá bom, até porque os caras falavam que Napoli é uma cidade como o Rio de Janeiro, meio confusa, uma cidade bonita, tem praia, tem tudo, mas você sabe bem como é. E, o presidente ali [Napoli], ele muda as ideias muito rápido, hoje ele te quer, amanhã não te quer e você não sabe.

– Eu precisava pensar no meu futuro. Não é vou ali, jogo seis meses ali e depois não sei o que vou fazer. Juan.

 

Assista ao vídeo:

Você sonha em jogar na seleção brasileira?


Quero ser Jogador – o blog para quem quer ser jogador.


 

O blog de quem quer ser jogador. Compartilhe.