A força de vontade no futebol, por Gerardo Pelusso

Por   | 

Gerardo Pelusso, ex-jogador e treinador de futebol uruguaio, participou do Quero ser Jogador e compartilhou a sua história.

– Olá, meninos. Meu nome é Gerardo Pelusso, sou do Uruguai, treinador de futebol, e hoje aos 60 anos, vivi em quase todos os países da América do Sul. E, também cheguei a cumprir o meu sonho de treinador, dirigir uma seleção nacional, como a Seleção do Paraguai.

– Mas, um dia, quando era menino, sonhava em ser um jogador de futebol. E, me custou muito sacrifício poder cumprir este sonho, mas, quem tem que dar o primeiro passo és tu. Eu sou de um povo pequeno, que se chama Florida-UY, que está a 100km da capital Montevideo. O futebol profissional está todo em Montevideo. E, aos 15 anos, tentei ir jogar futebol em Montevideo. E, fui praticar, com minha bolsa, cheguei. “Aqui me mostro como sou, quero ser um jogador de futebol profissional”, fiz uma prova (teste) em uma equipe, me disseram que não. Voltei ao meu povo. Fui de novo, em outra equipe, me disseram que não.

– E, até que depois, vou ao Nacional-UY, Club Nacional de Football, que é um grande do Uruguai. E, ai me dão uma terceira possibilidade, insisti novamente. Ai começo a jogar no Nacional, juvenil de 15 anos. Viajava todos os dias, de trem, de Floria a Montevideo. Saia as 5h da manhã, o trem, do meu povo.Eu saia as 4h da manhã, caminhando até a estação de trem, e as 5h viajava três horas de trem para ir, treinava, e três horas de trem para voltar para minha casa. Comia, e estudava de noite. Fazia o ensino médio de noite.  E, dormia à meia-note. As 4h da manhã me levantava para ir pegar o trem para ir ao treino. Todos os dias, 6h de trem para ir treinar.

– Conto-lhes isso, porque comecei pelo final e agora lhes falo do início. Eu cheguei a cumprir todos os meus sonhos. Queria ser jogador de futebol profissional, fui jogador de futebol profissional. Queria jogar na Seleção Uruguaia, joguei na Seleção Uruguaia. Queria ir jogar no exterior, fui jogar no México. Fui cumprindo todas as etapas.

– E, depois, voltei ao meu povo. Quando já deixei de jogar futebol profissional. E, comecei como treinador a fazer o mesmo caminho desde baixo. 7 anos dirigindo o meu povo a nível amador. Depois, comecei profissionalmente e fui cumprindo meu sonho também como treinador.

– Com isso, o que quero lhes dizer, é que os sonhos se podem tornar realidade. Mas, se tornam realidade na media que tu ponha todo o coração, todo o amor, todo o desejo, e tens que deixar outras coisas. Eu, na minha etapa de futebolista, não sabia o que era uma festa, um aniversário, não sabia, nunca soube. Dormir cedo, levantar cedo. Vida sã, a fazer esporte, jogar futebol, e fui cumprindo todos os meus sonhos.

– Mas, também dei tudo ao futebol. E, o futebol me deu tudo. E, eu levei toda a minha vida me dedicando ao futebol. E, assim, não há segredos. “El que la quiere celeste que le cueste” dizem no Uruguai. A camiseta celeste é a camiseta da Seleção. Gravem: “El que la quiere celeste que le custe“. Tem que se sacrificar também.

Qual a sua história com o futebol?

Assista ao vídeo:

Veja as dicas do Gerardo para quem quer ser jogador de futebol profissional, clique aqui.

O blog de quem quer ser jogador. Compartilhe.